Artigos mais lidos

História das Lâmpadas

Os primeiros registros que contam a história das lâmpadas datam do século XIX, uma das mais importantes criações da humanidade começou há mais de 200

Ler Mais »

Quer receber as novidades do nosso blog?

Insira o seu endereço de e-mail abaixo para receber gratuitamente todas as novidades do nosso blog!

Fique tranquilo. Seu e-mail está completamente seguro com a gente.

História das Lâmpadas

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Os primeiros registros que contam a história das lâmpadas datam do século XIX, uma das mais importantes criações da humanidade começou há mais de 200 anos. Hoje a iluminação elétrica é algo indispensável na vida das pessoas, tendo alta importância funcional. Nesse artigo vamos conhecer mais sobre a evolução da lâmpada.

21 de Outubro: Dia Mundial da Iluminação | Blog Ourolux
http://www.ourolux.com.br/blog/2019/10/21-de-outubro-dia-mundial-da-iluminacao/

A lâmpada de Thomas Edison – incandescente

Thomas Edison foi o responsável por desenvolver o primeiro modelo de lâmpada incandescente comercializável, com pequenas dimensões simbolizava um meio pratico e barato de gerar e distribuir luz elétrica, calor e energia. Em 1879, ele fez um experimento usando um bulbo de vidro a vácuo com filamento de carvão, que ficava isolado dentro do bulbo, evitando a combustão. O filamento era aquecido a ponto de emitir luz. A luz que se acendeu se manteve acesa por 45 horas. Inicialmente a luz emitida era avermelhada e fraca.

A lâmpada fluorescente

Criado por Nikola Tesla, em 1938, chega ao mercado a lâmpada fluorescente (feita com gás argônio e mercúrio, mas eficiente que as lâmpadas incandescentes e halógenas, sendo mais economia pois emite mais energia em forma de luz do que de calor. É considerada uma lâmpada de descarga, devido a uma corrente elétrica fluindo através do gás no tubo de vidro. Elas podem ser classificadas em tubulares, eletrônicas, circulares e compactas.

https://www.cliquearquitetura.com.br/artigo/lampadas-fluorescentes.html

A lâmpada halógena

Vinte anos depois, um outro tipo de lâmpada incandescente, a lâmpada dicroica halógena, com filamento de tungstênio, podendo ser aquecido a temperaturas muito altas, produzindo mais luz e mais calor, aumentando seu consumo. As lâmpadas desse tipo possuem luz mais intensa e reproduzi melhor as cores, que possibilita realçar os objetos. É muito utilizada na iluminação de destaque, tornando o ambiente mais agradável e sofisticado.

https://www.museudalampada.com.br/halogenas/

A lâmpada de vapor de sódio

Em 1962 foi desenvolvido um modelo de alta eficiência luminoso e larga durabilidade, as lâmpadas vapor de sódio. A luz nesse tipo de lâmpada é criada a partir de reações químicas que ocorrem quando a eletricidade é aplicada a diferentes gases contidos, neônio e argônio em uma câmara de vácuo de vidro. Emitem uma luz laranja/amarela e tem uma eficiência luminosa alta comparada a outras lâmpadas de descarga. Uma fonte de energia mais econômica, sendo usadas em avenidas, indústria, aeroportos e outros espaços.

https://cdpena5431.wordpress.com/2012/07/17/como-funciona-a-lampada-de-vapor-de-sodio/#jp-carousel-131

O que é LED?

LED é sigla para, em inglês, Light Emitting Diode, ou seja, diodo emissor de luz. Criado em 1963, pelo Engenheiro norte-americano Nick Holonyac. O LED é um importante elemento para facilitar nossa vida.

Sendo um componente semicondutor, que ao ser polarizado transforma energia elétrica em luz com alta eficiência luminosa e baixo consumo de energia.

Inicialmente o LED era produzido apenas na cor vermelha aplicado em equipamentos para orientar quando estava ligado ou desligado.

Entre os anos 80 e 90, com o avanço da tecnologia, os LEDs foram surgindo mais potentes, com maior intensidade luminosa e substituindo as lâmpadas. Surgiram LEDs multicoloridos, sendo oferecidos no mercado pelas cores, amarelo, verde, ciano e azul.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Autor

Fechar Menu
pt_BRPortuguês do Brasil
es_PEEspañol de Perú pt_BRPortuguês do Brasil