Artigos mais lidos

História das Lâmpadas

Os primeiros registros que contam a história das lâmpadas datam do século XIX, uma das mais importantes criações da humanidade começou há mais de 200

Ler Mais »

¿Quieres recibir noticias de nuestro blog?

¡Introduzca su correo para recibir todas las noticias de nuestro blog gratis!

Quédate tranquilo. Su correo está completamente seguro con nosotros.

História das Lâmpadas

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Os primeiros registros que contam a história das lâmpadas datam do século XIX, uma das mais importantes criações da humanidade começou há mais de 200 anos. Hoje a iluminação elétrica é algo indispensável na vida das pessoas, tendo alta importância funcional. Nesse artigo vamos conhecer mais sobre a evolução da lâmpada.

21 de Outubro: Dia Mundial da Iluminação | Blog Ourolux
http://www.ourolux.com.br/blog/2019/10/21-de-outubro-dia-mundial-da-iluminacao/

A lâmpada de Thomas Edison – incandescente

Thomas Edison foi o responsável por desenvolver o primeiro modelo de lâmpada incandescente comercializável, com pequenas dimensões simbolizava um meio pratico e barato de gerar e distribuir luz elétrica, calor e energia. Em 1879, ele fez um experimento usando um bulbo de vidro a vácuo com filamento de carvão, que ficava isolado dentro do bulbo, evitando a combustão. O filamento era aquecido a ponto de emitir luz. A luz que se acendeu se manteve acesa por 45 horas. Inicialmente a luz emitida era avermelhada e fraca.

A lâmpada fluorescente

Criado por Nikola Tesla, em 1938, chega ao mercado a lâmpada fluorescente (feita com gás argônio e mercúrio, mas eficiente que as lâmpadas incandescentes e halógenas, sendo mais economia pois emite mais energia em forma de luz do que de calor. É considerada uma lâmpada de descarga, devido a uma corrente elétrica fluindo através do gás no tubo de vidro. Elas podem ser classificadas em tubulares, eletrônicas, circulares e compactas.

https://www.cliquearquitetura.com.br/artigo/lampadas-fluorescentes.html

A lâmpada halógena

Vinte anos depois, um outro tipo de lâmpada incandescente, a lâmpada dicroica halógena, com filamento de tungstênio, podendo ser aquecido a temperaturas muito altas, produzindo mais luz e mais calor, aumentando seu consumo. As lâmpadas desse tipo possuem luz mais intensa e reproduzi melhor as cores, que possibilita realçar os objetos. É muito utilizada na iluminação de destaque, tornando o ambiente mais agradável e sofisticado.

https://www.museudalampada.com.br/halogenas/

A lâmpada de vapor de sódio

Em 1962 foi desenvolvido um modelo de alta eficiência luminoso e larga durabilidade, as lâmpadas vapor de sódio. A luz nesse tipo de lâmpada é criada a partir de reações químicas que ocorrem quando a eletricidade é aplicada a diferentes gases contidos, neônio e argônio em uma câmara de vácuo de vidro. Emitem uma luz laranja/amarela e tem uma eficiência luminosa alta comparada a outras lâmpadas de descarga. Uma fonte de energia mais econômica, sendo usadas em avenidas, indústria, aeroportos e outros espaços.

https://cdpena5431.wordpress.com/2012/07/17/como-funciona-a-lampada-de-vapor-de-sodio/#jp-carousel-131

O que é LED?

LED é sigla para, em inglês, Light Emitting Diode, ou seja, diodo emissor de luz. Criado em 1963, pelo Engenheiro norte-americano Nick Holonyac. O LED é um importante elemento para facilitar nossa vida.

Sendo um componente semicondutor, que ao ser polarizado transforma energia elétrica em luz com alta eficiência luminosa e baixo consumo de energia.

Inicialmente o LED era produzido apenas na cor vermelha aplicado em equipamentos para orientar quando estava ligado ou desligado.

Entre os anos 80 e 90, com o avanço da tecnologia, os LEDs foram surgindo mais potentes, com maior intensidade luminosa e substituindo as lâmpadas. Surgiram LEDs multicoloridos, sendo oferecidos no mercado pelas cores, amarelo, verde, ciano e azul.

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn

Autor

Close Menu
es_PEEspañol de Perú
pt_BRPortuguês do Brasil es_PEEspañol de Perú